Documento do BC americano faz Bovespa despencar

Um documento do banco central norte-americano divulgado esta tarde fez com que a Bolsa de Valores de São Paulo perdesse tudo o que ganhou ontem. Às 17h21, o Ibovespa, principal índice, cedia 2,14%, para 44.410 pontos. Ontem, o índice terminou em nível recorde, pela primeira vez acima dos 45 mil pontos, após ter registrado alta de 2,04%. O Ibovespa operou em baixa hoje durante todo o dia, com os investidores vendendo ações para resgatar os lucros obtidos com o recorde de ontem, mas a queda do índice foi ampliada após a divulgação da ata da última reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc), do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), às 17 horas (horário de Brasília). Na reunião, ocorrida em 12 de dezembro, foi decidida a manutenção da taxa básica de juros norte-americana em 5,25% ao ano. A ata provocou imediata reação nas Bolsas de Nova York, que foram seguidas pela Bovespa. Lá fora, o índice Dow Jones reduziu a alta que apresentava até então para +0,10%, às 17h12. Na máxima do dia, o Dow Jones chegou a bater novo recorde de pontos intraday (que representa a máxima pontuação histórica atingida durante os pregões, e não no encerramento dos negócios). O Nasdaq tinha ganho, também às 17h12, de apenas 0,01%, na mínima do dia. O documento do BC americano afirmou que todos os participantes da reunião viam na inflação o maior risco para a economia do país. Os membros do Fed enxergavam também um risco maior ao crescimento econômico, segundo a ata.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.