Dólar à vista abre em alta, mas apresenta volatilidade

Cotação acompanha ganhos da moeda ante o euro e divisas ligadas a commodities no exterior

Renata Pedini, Agência Estado - Texto atualizado às 10h45

15 de abril de 2014 | 10h17

SÃO PAULO - Depois de fechar em queda na segunda-feira, o dólar à vista abriu a terça-feira, 15, em alta ante o real no balcão, acompanhando os ganhos da moeda ante o euro e divisas ligadas a commodities no exterior. Na sequencia, a cotação da moeda já virou para o negativo após leilão de swap cambial do Banco Central e dados dos Estados Unidos e, depois, para o positivo, com discurso da presidente do Federal Reserve, Janet Yellen.

Perto das 9h50, o dólar à vista estava estável, cotado a R$ 2,2170. Na mínima, depois do leilão e indicadores dos EUA, foi negociado a R$ 2,2120, em queda de 0,23%. Na máxima, a R$ 2,2220 (+0,23%).

Às 10h45, o dólar estava cotado a R$ 2,2180, em alta de 0,05%.

Os ganhos da moeda norte-americana no exterior estavam relacionados a novos sinais de desaceleração da atividade econômica da China e de aprofundamento da crise envolvendo a Ucrânia. Em relação a dados, os números de inflação ao consumidor norte-americano vieram mais altos que o esperado, o que é positivo porque refletiria aumento do consumo, mas o índice de atividade Empire State do Fed de Nova York caiu para 1,29 em abril, bem pior que a previsão de +8. Yellen disse há pouco que não faria comentários sobre política monetária.

Internamente, o Banco Central vendeu quatro mil contratos de swap cambial ofertados no valor total de US$ 198,4 milhões. As vendas do comércio brasileiro em fevereiro, divulgada nesta manhã pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ficaram em linha com as projeções do mercado e ajudaram a aliviar os ganhos iniciais do dólar.

Tudo o que sabemos sobre:
dólarFed

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.