Dólar à vista abre em baixa na BM&F, a R$ 2,15

O câmbio começou a segunda-feira em queda. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) o dólar à vista operava em baixa de 0,05%, na máxima, a R$ 2,151, às 9h34. Na agenda econômica doméstica, chama a atenção o resultado da alta da inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) de até 7 de janeiro (0,86%, acima do teto das estimativas, de 0,82%). Ainda assim, o dado não é exatamente uma novidade já que a alta dos preços era esperada para este início de ano, por fatores pontuais. Portanto, assim como ocorreu na sexta-feira, os olhos dos investidores devem voltar-se ao exterior, mais precisamente ao comportamento internacional das commodities. No início do dia, esboça-se um cenário mais otimista do que ao final da semana passada. As bolsas européias operavam em alta respondendo à recuperação nos preços do petróleo. A commodity registrava valorização significativa (ao redor de 1%) no pregão eletrônico de Nova York. O preço do cobre, no entanto, recuava cerca de 1% mais cedo e é o fator de cautela. Os investidores devem acompanhar o comportamento desta commodity, assim como manterão olhos atentos sobre o desempenho dos demais metais. Vale lembrar que o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior divulga hoje os números da balança comercial relativos à primeira semana de janeiro. Os últimos dados do ano passado surpreenderam positivamente e a pesquisa Focus, divulgada mais cedo, mostrou ajuste para cima nas estimativas para o superávit comercial deste ano, que passaram de US$ 38 bilhões no levantamento da semana passada para US$ 38,6 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.