Dólar à vista começa em leve queda ante o real

Os feriados nos Estados Unidos e no Reino Unido nesta segunda-feira, 26, encurtam a liquidez nos mercados globais, o que se reflete no mercado doméstico de câmbio. Há pouco, o dólar abriu com ligeiro viés de baixa ante o real no mercado à vista, cotado a R$ 2,2220 (-0,09%) no balcão, e assim se mantém. A previsão do leilão de swap do Banco Central das 9h30 ajuda a sustentar o viés negativo de preço nos primeiros negócios. A autoridade monetária ofertará até 4 mil contratos (US$ 200 milhões) com vencimento em 01/12/2014 e 02/02/2015. Às 9h30, o dólar futuro para junho tinha queda de 0,02%, a R$ 2,2260.

ANA LUÍSA WESTPHALEN, Agencia Estado

26 de maio de 2014 | 10h13

Na pesquisa Focus, do Banco Central, o mercado financeiro elevou a previsão de alta do IPCA em 2014 e encostou a estimativa para o teto da meta oficial de inflação, passando de 6,43% para 6,47%. Para 2015, a projeção do IPCA seguiu em 6,00%. Já a previsão para a taxa Selic seguiu em 11,25% neste ano, o que ainda vislumbra um aumento de 0,25pp no juro básico até dezembro, mas reduziu de 12,25% para 12% a carga total de aperto monetária prevista para 2015. Em relação ao crescimento econômico, os analistas consultados pelo BC elevaram a estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) em 2014, de 1,62% para 1,63%, mas reduziram a previsão para o PIB em 2015, de 2,00% para 1,96%.

No exterior, apesar do feriado nos EUA e no Reino Unido, o noticiário político é agitado, com destaque para o desfecho das eleições para o Parlamento Europeu e na Ucrânia no fim de semana. Mesmo com o avanço de partidos de extrema direita, anti-União Europeia e contrários às medidas de austeridade ganharem força no pleito, os partidos pró-UE ainda foram maioria. Já na Ucrânia, a vitória deve ficar com o bilionário Petro Poroshenko, que é anti-Moscou. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, tem afirmado que respeitará o que for decidido nas urnas.

Tudo o que sabemos sobre:
dólarEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.