Dólar à vista começa volátil em dia de Ptax

O mercado de câmbio doméstico abriu a sessão com o dólar em queda ante o real, mas logo depois passou a subir, refletindo a volatilidade neste dia de formação da taxa Ptax e de fechamento de semestre. Às 9h20, o dólar à vista no balcão operava em queda novamente, de -0,05% ante o real, cotado a R$ 2,1970, enquanto o dólar futuro para agosto subia 0,14%, a R$ 2,2180.

ANA LUÍSA WESTPHALEN, Agência Estado

30 de junho de 2014 | 09h44

Até o começo da tarde, os agentes financeiros devem dividir suas atenções entre os movimentos finais para a definição da taxa Ptax e os leilões a serem realizados pelo Banco Central hoje, o que deve manter o mercado volátil.

Logo mais, às 9h30, o BC ofertará 4 mil contratos de swap cambial tradicional, num total de US$ 200 milhões, com vencimento em 2 de fevereiro de 2015 e 1º de junho de 2015. O resultado sai a partir de 9h50. Depois, às 10h15, a autoridade monetária realiza leilão de linha (venda conjugada com recompra) para rolar contratos que vencem em 1º de julho. Serão aceitos US$ 3,5 bilhões em propostas.

Divulgada mais cedo, a Pesquisa Focus não trouxe muita novidade. Segundo o BC, as estimativas para o IPCA seguiram em +6,46% em 2014 e em +6,10% em 2015; as previsões para a Selic permaneceram em 11,0% e 12,0%; e as expectativas para a taxa de câmbio neste e no próximo ano continuaram em R$ 2,40 e R$ 2,50. A principal mudança foi a previsão para a expansão do PIB, novamente revisada para baixo, passando de 1,16% para 1,10% em 2014, e de 1,60% para 1,50% em 2015.

Em Wall Street, os futuros das bolsas de Nova York operam de lado, refletindo os ajustes de fim de mês, de trimestre e de semestre. Vale lembrar que a semana é mais curta nos Estados Unidos em virtude do feriado de 4 de julho, que cai na sexta-feira. Com isso, a divulgação do relatório oficial do mercado de trabalho (payroll) foi antecipada para quinta-feira.

Na Europa, as principais praças acionárias exibem direções divergentes, mas oscilam entre margens estreitas. Conforme divulgado mais cedo, o índice de preços ao consumidor (CPI) na zona do euro foi ao menor nível em quatro anos. O indicador subiu 0,5% em junho ante igual mês do ano passado, permanecendo bem abaixo da meta de inflação do BCE, de 2%.

Tudo o que sabemos sobre:
dólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.