Dólar abre em alta de 0,05% a R$ 2,133 na BM&F

O dólar abriu em alta de 0,05% no pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), negociado a R$ 2,133. O destaque do dia é a resposta do Irã à proposta feita pelos países ocidentais de um pacote de incentivos em troca da interrupção do seu programa de enriquecimento de urânio. Autoridades do Irã devem pronunciar-se hoje, às 9h30, apesar de terem prazo até o dia 31, data que o Conselho de Segurança da ONU fixou como limite para que Teerã suspenda todo o enriquecimento. Analistas internacionais acreditam que o Irã vai se negar a interromper o seu programa nuclear, mas de forma indireta, e vislumbram repercussões negativas no mercado. A perspectiva geral é que principalmente os negócios com petróleo sejam influenciados pelo anúncio de hoje do Irã. Estima-se também que a eventual retomada das incertezas atinja especialmente os investimentos em países emergentes. Um segundo momento de negócios, no entanto, conta com o impacto de um acontecimento interno de destaque. A partir das 10 horas, o secretário do Tesouro Nacional, Carlos Kawall, dá entrevista à imprensa para divulgar a "Estratégia de Financiamento 2007/2008". Para o mercado de câmbio, a depender das novidades, esse pode ser um tempero fundamental para os negócios do dia. Afinal, Kawall deve falar dos próximos passos da estratégia do Tesouro em relação à dívida externa e isso pode ter implicâncias diretas no mercado de câmbio. O mercado domestico ficará atento ainda à segunda rodada de reuniões do Banco Central (BC) com representantes das instituições financeiras que acontece hoje, no Rio de Janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.