Dólar abre em alta de 0,07% na BM&F, de olho nos EUA

O dólar abriu em alta de 0,07%, a R$ 2,060, na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F). Investidores não descartam para hoje a possibilidade de realização de lucro que ocasionem altas pontuais da moeda norte-americana. Foi o que ocorreu ontem nos negócios do mercado futuro eletrônico, que interrompeu as atividades no início da noite exibindo o contrato de junho com ganho de 0,12%. Às 9h21, a moeda subia 0,32%, a R$ 2,065. A perspectiva de alta para esta quarta-feira segue apoiada na leva elevação que mostram as taxas de juros dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos (treasuries), no desempenho negativo das bolsas internacionais e nas apreensões em torno dos resultados dos indicadores norte-americanos a serem divulgados esta manhã - os dados de encomendas à indústria em março, às 11 horas e o nível dos estoques norte-americanos de petróleo bruto e derivados, às 11h30. Afinal, o recuo acumulado nos últimos dias é forte. Dando embalo a essa possibilidade de correção de alta na cotação do dólar surgiram, ontem, comentários de que o Banco Central poderia retomar os leilões de swap cambial reverso. A expectativa não se concretizou para hoje, mas se ganhar força nas mesas de operações durante esta quarta-feira pode ajudar a sustentar as cotações. A avaliação geral, no entanto, é de que a provável valorização da moeda norte-americana pode não durar muito. Principalmente se os dados da economia dos EUA provocarem reversão nas taxas de juros dos títulos do Tesouro, que devem continuar como principal farol dos negócios com dólar no Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.