Dólar abre em alta de 0,18% na BM&F, a R$ 2,171

O dólar abriu em alta de 0,18% no pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), negociado a R$ 2,171. Os investidores estão tensos com a notícia sobre possíveis ações terroristas. Nesta madrugada, no Reino Unido, o governo britânico anunciou a descoberta de um plano para explodir aviões que estivessem voando sobre o Oceano Atlântico com destino aos Estados Unidos. O objetivo era derrubar pelo menos nove aviões e, por causa disso, os níveis de alerta foram elevados ao máximo no país e aumentados também nos EUA. Foram presas 21 pessoas, mas a polícia alertou que ainda não encontrou todos os suspeitos de envolvimento na ação e acredita que o risco de um atentado no curto prazo é grande. O mercado financeiro reage com pessimismo. As principais bolsas européias operam em forte queda. E os índices futuros das Bolsas de Nova York também operam no negativo. O preço do petróleo também cai. Esse mercado reflete a avaliação de que haverá, de imediato, uma queda na demanda por combustíveis para aviões, decorrente de uma retração forte e repentina no setor aéreo. Num primeiro momento, porém, analistas financeiros acreditam que o dólar sofrerá apenas uma pressão pontual de alta. Os acontecimentos não alteraram a avaliação de fluxo positivo de recursos para países emergentes. Além disso, o mercado avalia que nos últimos dias a atuação do Banco Central no mercado de câmbio doméstico é menos agressiva. A autoridade monetária tem aceitado um número menor de propostas em seus leilões de compra, optando por uma taxa de corte ligeiramente inferior à cotação de mercado. Ontem, o BC aceitou apenas três propostas de um total de 19. A taxa de corte foi de R$ 2,1695 por dólar, quando o mercado negociava o dólar a R$ 2,1697.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.