Dólar abre em alta de 0,28% na BM&F, a R$ 2,114

O dólar iniciou os negócios com valorização no mercado de câmbio brasileiro esta manhã. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o dólar negociado à vista abriu em alta de 0,28%, cotado a R$ 2,114. Na semana passada, a alta da moeda norte-americana refletiu principalmente a maior agressividade mostrada pelo Banco Central nos leilões de compra de dólares por vários pregões consecutivos e a expectativa é de que a autoridade monetária mantenha essa linha. Mas a valorização da moeda norte-americana na semana passada foi influenciada também por dúvidas a respeito da permanência do presidente Henrique Meirelles no seu cargo. E esse fator esvaziou-se durante o final de semana. Na agenda, o dia promete ser morno tanto por aqui, quanto no exterior. Por isso, a expectativa dos operadores é de abertura do dólar em alta, mas sem grandes variações. Já na sexta-feira à noite, em jantar para comemorar os 27 anos do PT, o presidente Lula defendeu a atuação de Meirelles no Banco Central perante seus colegas de partido. As revistas de final de semana contaram ainda que o presidente Lula teria concluído que qualquer substituto do atual presidente do BC seria obrigado a ser ainda mais rigoroso na condução da política monetária até conquistar a confiança do mercado. E deram a saída de Meirelles como descartada. Ainda assim, a cotação do dólar deve sentir a mão do Banco Central durante o pregão de hoje. Nos últimos leilões, a autoridade tem comprado volumes maiores do que o habitual, entre US$ 500 milhões e US$ 600 milhões ao dia, segundo cálculos do mercado, e esse enxugamento está tendo impacto na liquidez do sistema. Mas vale registrar que o BC é o único comprador do mercado e que, perante uma eventual entrada, o dólar pode ceder. Além dos seus leilões do mercado à vista, o BC antecipou em alguns dias, de acordo com o seu procedimento habitual, o leilão de rolagem do vencimento de contratos de swap cambial reverso. E isso também teve efeito de alta nas cotações. A operação deve ocorrer amanhã e a pesquisa de demanda é feita hoje. Lá fora o dia amanheceu com tom negativo, o que colabora para a alta do dólar na abertura dos negócios. Na Ásia houve realização de lucros nas bolsas. Os mercados acionários europeus operam em queda influenciados pelo recuo do petróleo e por notícias desfavoráveis espalhadas por diversos fatores. Nos EUA, os futuros das bolsas também estão com sinal negativo, mas perto da estabilidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.