Dólar abre em baixa de 0,16% na BM&F, a R$ 2,1555

O dólar à vista abriu hoje em baixa de 0,16% no pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), negociado a R$ 2,1555. Passadas as tensões iniciais decorrentes da ameaça de mais uma ação terrorista de grandes proporções, o mercado internacional mostra alívio e opera de lado de olho nos indicadores da economia norte-americana. Perante esse respiro internacional e o ambiente interno de otimismo, a perspectiva do mercado doméstico de câmbio é de queda do dólar. No Brasil, com os dados mostrando a inflação sob controle, o mercado de câmbio comemora o nível historicamente baixo do risco país que, somado à proximidade das reservas internacionais da marca dos US$ 70 bilhões, formam mais um indicador de robustez da economia brasileira. E atrai recursos para o País. Assim, o comprador de dólares continua sendo o Banco Central que, diariamente, enxuga o excesso de liquidez do mercado. Nos últimos dias, perante uma postura menos agressiva da autoridade monetária no mercado à vista, os operadores passaram a aventar a possibilidade de realização de leilão de swap cambial reverso. Até porque, em 1º de setembro tem um vencimento expressivo desses contratos, de cerca de US$ 1,225 bilhão e, no mês passado, o BC fez um leilão de swap (operação no mercado futuro de dólar) para rolar um outro vencimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.