Dólar abre em baixa de 0,22% na BM&F a R$ 2,232

O dólar à vista abriu em baixa de 0,22% no pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros, negociado a R$ 2,232. Para os investidores que ainda estão dispostos a girar dinheiro entre os diversos ativos em razão das expectativas com o futuro do juro norte-americano (o banco central dos EUA define amanhã a nova taxa básica), a agenda do dia apresenta o leilão de títulos do Tesouro dos EUA, de US$ 14 bilhões em papéis de cinco anos de prazo, com resultado previsto para as 14h (de Brasília). Especificamente para os países emergentes, incluindo o Brasil, o destaque continua sendo a Turquia. O banco central do país elevou os juros novamente hoje (é a terceira alta neste mês) para conter o ataque especulativo à moeda (lira). A alta foi de dois pontos porcentuais em operações diferentes daquelas que foram contempladas nos dois últimos ajustes de taxa. E veio um dia após a agência de classificação de risco Standard & Poor´s ter rebaixado a perspectiva para os ratings do país de positiva para estável. Além disso, o BC turco anunciou que está atuando no mercado de câmbio. Se a situação da Turquia continuar afetando o risco dos demais países emergentes, ainda que em baixa intensidade, como é o caso do Brasil, terá impacto no mercado doméstico de câmbio. Internamente, o mercado deve debruçar-se sobre as páginas do relatório de inflação do Banco Central, a ser divulgado esta manhã. Se houver alterações nas perspectivas para o juro interno, elas podem, eventualmente, ser acompanhadas por oscilações na taxa de câmbio. Mas o mais importante, no mercado doméstico, devem ser os movimentos em torno da rolagem de posições no mercado futuro (BM&F), decorrente da proximidade do vencimento dos contratos de julho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.