Dólar abre em baixa de 0,25% a R$ 2,171 na BM&F

A taxa de câmbio abriu em baixa no pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros. O primeiro negócio com dólar de liquidação à vista fechado esta manhã, às 9h15, foi à taxa de R$ 2,171, recuo de 0,25% em relação a ontem. Com a decisão do Federal Reserve (banco central americano) ontem à tarde confirmando a expectativa do mercado de manutenção do juro dos EUA em 5,25% ao ano e a agenda externa amena nesta quinta-feira, o mercado doméstico de câmbio se volta hoje para os acontecimentos internos. Principalmente porque, por aqui, ao contrário do que se vê no exterior, o clima está esquentando às vésperas das eleições presidenciais. O escândalo da campanha eleitoral da suposta compra de dossiê contra candidatos tucanos acabou atingindo mais fortemente membros do PT. Ontem resultou no afastamento do coordenador de campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Ricardo Berzoini. Os acontecimentos estão deixando o mercado desconfortável e a tensão espalha-se. O maior temor, inclusive dos analistas estrangeiros, é que Lula chegue ao segundo mandato enfraquecido, sem condições de promover as reformas necessárias ao crescimento e ao ajuste fiscal. E que a crise política se arraste durante seu governo. Ainda assim, os especialistas lembram que os riscos não são de curto prazo. Por isso, depois da alta do dólar ontem, é possível que a moeda norte-americana realize um pouco na abertura de hoje, registrando pequena queda. Além do cenário internacional favorável, ainda há perspectivas de entradas financeiras decorrentes das recentes captações privadas externas. Ainda assim, os especialistas afirmam que é cedo para apostar numa melhora do mercado para o restante do dia. O Banco Central divulga hoje, por volta das 10h30, os números das transações correntes do Brasil no mês de agosto. As contas devem ter resultado superavitário entre US$ 1,5 bilhão e US$ 2,5 bilhões, segundo as estimativas dos analistas de 15 instituições financeiras consultadas pela Agência Estado. O destaque fica com a pesquisa de demanda com o mercado sobre a possibilidade de realização de um leilão de swap cambial, amanhã, a partir das 17 horas. O objetivo do leilão é rolar o vencimento do próximo dia 2 de outubro, no valor de US$ 1,6 bilhão. Se optar pela realização do leilão, o comunicado será divulgado a partir das 18h30.

Agencia Estado,

21 de setembro de 2006 | 09h27

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.