Dólar abre em baixa de 0,36% na BM&F a R$ 2,185

A taxa de câmbio começou o dia em baixa na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F). O primeiro contrato de dólar à vista foi fechado às 9h30 a R$ 2,185, recuo de 0,36% em relação a ontem. No mercado interbancário ainda não foi registrado nenhum negócio com o dólar comercial. Depois de fazer dois leilões, ontem e na sexta-feira passada, o Banco Central conseguiu rolar cerca de metade do vencimento de contratos derivativos do próximo dia 2 de outubro, que soma US$ 1,6 bilhão. A autoridade monetária avisou também que não fará mais nenhum leilão, o que significa que cerca de US$ 800 milhões sobrarão no mercado. A perspectiva de sobra contribuiu para o dólar recuar ontem e a confirmação de que isso realmente ocorrerá pode perpetuar essa trajetória hoje. A consolidação desse caminho, no entanto, depende de acontecimentos principalmente no exterior. Até o momento, o ambiente internacional é favorável à queda do dólar, mas o mercado vai acompanhar a agenda. Nos EUA, os acontecimentos importantes iniciam às 9h30, quando o Departamento do Comércio dos EUA divulga o indicador de encomendas de bens duráveis em agosto. Internamente, devem pesar mais os dados técnicos. Vale ressaltar que ontem a queda do dólar contou com a influência do fluxo de recursos favorável. Segundo operadores, houve uma entrada financeira que não foi identificada, nem mensurada. Um sinal que corroboraria essa percepção de entrada de recursos seria a decisão do BC de voltar a atuar no mercado à vista depois de vários dias ausente. Ontem, o BC fez leilão de compra e estima-se que tenha adquirido entre US$ 75 milhões e US$ 100 milhões.

Agencia Estado,

27 de setembro de 2006 | 09h36

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.