Dólar abre em leve alta, negociado a R$ 2,171

O dólar negociado à vista no pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) abriu em alta de 0,18%, cotado a R$ 2,171. Nas transações interbancárias, o dólar comercial também começou o dia a R$ 2,171. O mercado externo amanhece indefinido, com as commodities em pequena queda, mas deixando de ser o foco das atenções dos investidores. Na Europa, as bolsas não seguiam uma única direção e eram pautadas por notícias corporativas. Nos EUA, o índice futuro da Nasdaq subia e o S&P operava em queda. O barril de petróleo apresentava alta e as taxas de juros dos títulos do Tesouro dos EUA caíam. Em meio a esse cenário, em que falta um fio condutor para os negócios financeiros internacionais, o mercado doméstico de câmbio tende a orientar-se por dados técnicos e fluxo, tendo como pano de fundo as avaliações positivas de médio e longo prazo. Na agenda interna, o mercado deve acompanhar a divulgação da Nota Conjunta da Dívida Pública, do Tesouro e do Banco Central, referente ao mês de agosto, marcada para as 11 horas. Nos EUA, o destaque são os dados sobre estoques de petróleo que serão anunciados às 11h30 (de Brasília), pelo American Petroleum Institute (API) e o Departamento de Energia dos EUA (DoE). Para o fluxo de recursos, a perspectiva continua sendo positiva. Além das exportações, que continuam prevalecendo sobre as importações, com exceção de um dia ou outro, há as captações externas privadas que podem ser anunciadas a qualquer momento. Segundo profissionais desse segmento, várias operações estão prontas, esperando o melhor momento para ir a mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.