Dólar abre quase estável na BM&F, a R$ 2,20 (-0,18%)

Diante dos dados do CPI (índice de preços ao consumidor), mostrando uma inflação acima do esperado nos Estados Unidos, e a explosão do risco Brasil, um novo mecanismo para interromper perdas teria detonado compras fortes de dólares no mercado ontem à tarde. Isso acelerou a valorização da moeda norte-americana, que pela manhã já era acentuada e firme, e a cotação encerrou a quarta-feira em alta superior a 3%. Assim, criou-se um clima de cautela para a abertura de hoje e o dólar negociado no pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) abriu próximo da estabilidade, a R$ 2,20 (-0,18%). Pela manhã, as taxas dos juros dos títulos do Tesouro dos EUA mostravam pequena alta, o que pesa a favor da continuidade da valorização do dólar ante o real. No mesmo sentido pesam as bolsas européias que registram perdas. Porém, os futuros das bolsas de Nova York e o recuo do dólar ante o euro amenizam essa perspectiva.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.