Dólar acumula baixa de 2,83% no mês; fecha a R$ 2,061

Depois de fechar em queda de mais de 1% ontem, o câmbio encerrou hoje em alta. Além da oportunidade de "preço" provocada pelo tombo da taxa na véspera, a forte oscilação das bolsas provocada pelos indicadores norte-americanos divulgados pela manhã e a crescente tensão geopolítica envolvendo o Reino Unido e o Irã estimularam ajustes de posições compradas em câmbio. O dólar negociado no pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) terminou o dia cotado a R$ 2,061, com valorização de 1,03%. A moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 2,035 e a máxima de R$ 2,068. No mês, o dólar acumula perdas de 2,83%. No mercado interbancário, o dólar comercial encerrou a R$ 2,061, com ganho de 0,83%. Na mínima, a moeda norte-americana chegou a valer R$ 2,035 e, na máxima, R$ 2,067. O dólar comercial também acumula em março desvalorização de 2,83%. O Banco Central (BC) voltou atuar no mercado à vista de dólar. Após a atuação do BC, as cotações à vista ampliaram as altas exibidas. Também contribuíram o recuo do Risco Brasil, que atingiu nova mínima de baixa, por volta das 16 horas, em baixa de quatro pontos a 166 pontos-base.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.