Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Dólar amplia queda ante iene após dados dos EUA

O dólar caiu mais uma vez ante o iene nesta sexta-feira, 14, prejudicado por dados desanimadores dos EUA antes da reunião do Federal Reserve na próxima semana. O iene também foi ajudado pelo recuo no índice Nikkei, da Bolsa de Tóquio. A moeda vem operando de forma inversamente proporcional aos movimentos das ações nas últimas duas semanas.

Agencia Estado

14 de junho de 2013 | 18h44

A produção industrial dos EUA ficou estável em maio frente ao mês anterior, ante expectativa de aumento de 0,1%. O índice de sentimento do consumidor do país caiu para 82,7 na leitura preliminar de junho, de 84,5 na leitura final de maio, ficando abaixo das expectativas de uma leitura de 84,0. Também nesta manhã foi divulgado o índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês), que registrou alta de 0,5% em maio, a primeira em três meses. O número veio acima da projeção dos analistas, que esperavam aumento de apenas 0,1%.

"A semana toda tem sido bem dramática", disse Carl Forcheski, do Société Générale em Nova York. "A força do iene é só um reflexo das pessoas preferindo a cautela."

Também pesou sobre o dólar o artigo do colunista Jon Hilsenrath publicado pelo Wall Street Journal. No texto, o influente colunista, considerado um especialista em Fed, minimizou as preocupações com a estratégia do banco central norte-americano.

"Um ajuste no programa não significa que ele vai acabar de uma só vez, dizem as autoridades, e o mais importante ainda é que não significa que o Fed está perto de aumentar as taxas de juros de curto prazo", afirma o artigo. "Os investidores não estão ouvindo isso", destacou. O texto ajudou a restabelecer a calma nos negócios, especialmente com a lembrança feita por Hilsenrath de que o próprio Fed já deu sinais de que a estratégia de saída não será repentina e pode contar com duas fases: redução do programa de compra de ativos e, depois, uma eventual elevação do juro.

No fim da tarde em Nova York, o dólar caía 1,3%, para 94,10 ienes, de 95,35 ienes no fim da tarde de ontem, e estava em 0,9209 franco suíço, de 0,9215 franco suíço. O euro recuava para US$ 1,3314, de US$ 1,3378 ontem, e tinha queda para 125,72 ienes, de 127,55 ienes. A libra era negociada a US$ 1,5709, de US$ 1,5723 ontem. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
moedasfechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.