Dólar atinge a máxima do dia, com prevenção de prejuízo

A turbulência externa continua dando fôlego ao movimento de stop loss (prevenção contra prejuízo) de compra de dólar nos mercados à vista e futuro. No mercado interbancário, por volta de 14h50, o dólar comercial disparou para a máxima de R$ 2,395, em alta de 4,45%. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o dólar negociado à vista também estava na máxima de R$ 2,384, alta de 3,97%. No mercado de dólar futuro, o giro financeiro já está maior do que o registrado ontem, e somava há pouco US$ 12,16 bilhões, com 233.841 contratos. Os nove vencimentos de dólar futuro indicam firmes altas, sendo que para 1º de junho a projeção é de +4,57% a R$ 2,398. Em Nova York, o juro dos títulos de 10 anos recuava a 5,0092% de 5,048% ontem; e a taxa do título de 30 anos caía a 5,1067% ante 5,135% ontem, refletindo a busca de proteção pelos investidores estrangeiros. O salto dos juros futuros na BM&F e a queda de 3% da Bolsa paulista, por volta do mesmo horário (14h50), também davam sustentação ao ajuste do dólar, afirmaram participantes do mercado consultados. No mercado de juros, o Tesouro Nacional decidiu cancelar o leilão de títulos prefixados previsto para amanhã, por causa das condições vigentes no mercado. Também por volta de 14h50, o contrato de juro para janeiro de 2008 (o mais negociado) projetava taxa de 16,15% ante 15,48% ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.