Dólar avança com comunicado menos pessimista do Fed

O dólar subiu diante das principais moedas nesta quarta-feira, 30, depois de o Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos) deixar inalterado seu programa de compras mensais de US$ 85 bilhões em bônus. "Se houve uma pequena surpresa, é a de que o Fed foi mais incisivo ao dizer que a agenda de redução das compras de bônus está intacta. O resumo é que, numa economia afetada pela insanidade fiscal e por um impulso de crescimento fraco, o Fed preferiu enfatizar que o copo está meio cheio", comentou Eric Green, da TD Securities.

Agencia Estado

30 de outubro de 2013 | 20h09

"Parece que o Fed não fez qualquer nova advertência sobre a economia, mesmo com o fechamento do governo na primeira metade do mês. Eles não fecharam as portas para uma redução das compras de bônus em 2013, e isso deu um pouco de impulso ao dólar", disse o analista Joe Manimbo, da Western Union Business Solutions.

Segundo Steve Englander, do Citigroup, traders que haviam apostado em um comunicado mais pessimista do Fed se viram obrigados a comprar dólares para reduzir suas perdas. "Um mercado pessimista e ''dovish'' foi confrontado por um Fed olhando para o lado mais brilhante", acrescentou.

Às 19h45 (horário de Brasília), o euro estava cotado a US$ 1,3737, de US$ 1,3746 na terça-feira; o iene estava cotado a 98,47 por dólar, de 98,19 por dólar. Frente à moeda japonesa, o euro estava cotado a 135,27 ienes, de 134,96 ienes na véspera. O franco suíço estava cotado a 0,8994 por dólar, de 0,8989 por dólar, e a 1,2354 por euro, de 1,2355 por euro na terça-feira. A libra estava cotada a US$ 1,6039, de US$ 1,6048. O dólar australiano estava cotado a US$ 0,9484, de US$ 0,9481. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
moedas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.