Dólar avança com tensão causada por crise na Síria

O dólar ganhou força nesta quarta-feira, 28, à medida em que os investidores procuraram ativos mais seguros, incluindo a moeda dos Estados Unidos, em meio a preocupações com uma ação militar na Síria. A ansiedade com os acontecimentos no país, inicialmente, fizeram o dólar se enfraquecer esta semana, com os investidores em busca de refúgio em outras moedas consideradas "portos-seguros", como o iene e o franco suíço, mas o dólar voltou a ganhar força nesta quarta-feira.

AE, Agencia Estado

28 de agosto de 2013 | 18h37

As autoridades da Síria alertaram nesta quarta que qualquer ação desestabilizaria a região, provocando preocupações com o fornecimento de petróleo no Oriente Médio. "As preocupações geopolíticas fizeram os investidores buscarem segurança nos ativos norte-americanos", disse o analista do Wells Fargo Zachary Griffiths.

Os ganhos do dólar foram mais pronunciados ante moedas de mercados emergentes, que foram sacudidas nas últimas semanas. "A conexão entre a Síria e os mercados é o petróleo", afirmou Jose Wynne, analista do Barclays. "Se os preços do petróleo continuarem altos, isso definitivamente colocará a recuperação global em risco" e poderá pesar sobre moedas que são mais sensíveis à demanda global, como o peso mexicano e o won coreano.

Já o euro subiu ante o iene mas caiu frente ao dólar. O índice de confiança do consumidor da Alemanha medido pela GfK recuou em setembro pela primeira vez em oito meses. O índice caiu para 6,9 pontos em setembro, de 7,0 pontos em agosto. O resultado ficou abaixo do previsto pelos economistas, que apontavam para um ligeiro aumento a 7,1 pontos.

A libra, por sua vez, recuperou parte das perdas após o discurso do presidente do Banco da Inglaterra (BoE), Mark Carney, ser interpretado como menos ''dovish'' do que o esperado - mais conservador que o previsto. Apesar de Carney não ter dito nada de novo, alguns traders afirmaram que esperavam uma postura de relaxamento mais agressivo do dirigente. Sem isso, a libra ganhou força, mas não o suficiente para passar a subir ante o dólar.

No fim da tarde em Nova York, o dólar estava em 97,65 ienes, de 97,05 ienes no fim da tarde desta quarta, e subia para 0,9222 franco suíço, de 0,9174 franco suíço. O euro recuava para US$ 1,3334, de US$ 1,3393, mas tinha alta para 130,26 ienes, de 129,97 ienes. A libra era cotada a US$ 1,5523, de US$ 1,5540. O índice Wall Street Journal Dollar Index, que pesa a moeda dos EUA ante uma cesta de rivais, subia para 73,838 pontos, de 73,540 pontos. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Moedas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.