Dólar cai 0,45% por expectativa de entrada de recursos

Cotação fechou a R$ 2,0080, com perspectiva de ingresso de moeda por recentes emissões e ofertas públicas de ações

Luciana Antonello Xavier, da Agência Estado,

25 de abril de 2013 | 17h21

Um mix de notícias ajudou a manter o dólar em queda ante o real até o fechamento desta quinta-feira, 25. Entre elas, o cenário exterior mais positivo e a perspectiva de internalização de recursos de recentes emissões e ofertas públicas de ações. Mas, em dia de ata do Comitê de Política Monetária (Copom), pesaram também as declarações do diretor de Política Econômica do Banco Central, Carlos Hamilton, de que o BC pode ser instado a refletir sobre a possibilidade de intensificar o uso da Selic. A ata da última reunião do Copom sinalizou, contudo, que o BC seria gradual no aperto monetário.

O dólar à vista no balcão encerrou em baixa de 0,45%, a R$ 2,0080. A mínima foi de R$ 2,0050 (-0,59%). A cotação máxima ficou em R$ 2,0140 (-0,15%). Perto das 17 horas, o dólar para maio de 2013 caía 0,17%, para R$ 2,0095, tendo oscilado de R$ 2,0155 (+0,13%) a R$ 2,0060 (-0,34%). O giro financeiro no mercado à vista era de US$ 2,078 bilhões. Na BM&FBovespa, o dólar pronto terminou em baixa de R$ 0,36%, a R$ 2,0074.

Pela manhã, o mercado de câmbio antecipou vendas, adiantando o ingresso de recursos da oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da BB Seguridade. Segundo fontes, a demanda pelos papéis correspondeu a pelo menos três vezes do total da oferta.

Os número menor do que o esperado nos pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos e a expectativa de mais alívio monetário por parte do Banco Central Europeu (BCE), na semana que vem, desvalorizam o dólar também em relação a moedas ligadas a commodities. O número de trabalhadores norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego caiu 16 mil, para 339 mil, na semana até 20 de abril, após ajustes sazonais, o mais baixo nível desde o início de março e menor do que a estimativa de aumento para 350 mil solicitações.

Perto das 17 horas (horário de Brasília), o dólar caía ante o dólar australiano (-0,10%), o dólar canadense (-0,49%), a rupia indiana (-0,31%) e o dólar neozelandês (-0,40%).

O euro era negociado praticamente estável, a US$ 1,3014, de US$ 1,3015 no fim da tarde da véspera. O dólar caía a 99,22 ienes, de 99,50 ienes no fim da tarde da quarta-feira, 24.

Tudo o que sabemos sobre:
câmbiofechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.