Dólar cai 0,48% e fecha a R$ 2,274

Perspectiva de maior rolagem, pelo BC, dos contratos de swap que vencem em setembro forçou ajuste da moeda americana no País

Fabrício de Castro, Agência Estado

11 de agosto de 2014 | 17h22

O mercado de câmbio se ajustou nesta segunda-feira, 11, à perspectiva de maior rolagem, pelo Banco Central, dos contratos de swap que vencem em setembro. Após a instituição ter aumentado hoje a oferta para rolagem, de 8 mil para 10 mil contratos (de US$ 400 milhões para US$ 500 milhões), o dólar recuou durante todo o dia ante o real, influenciado também por um cenário mais calmo no exterior.

No fim do dia, o dólar à vista negociado no balcão registrou baixa de 0,48%, aos R$ 2,2740. A moeda americana oscilou entre uma máxima de R$ 2,2820 (-0,13%) e uma mínima de R$ 2,2720 (-0,57%), mas em meio a um giro contido, perto de US$ 557 milhões. No mercado futuro, que encerra às 18 horas, o dólar para setembro caía 0,37%, aos R$ 2,2890. 

Desde cedo, a notícia de maior rolagem do BC trazia um viés de baixa para os negócios. Na noite de sexta-feira, com os mercado já fechados, o Banco Central anunciou para hoje um leilão de 10 mil contratos de swap (US$ 500 milhões), para rolagem dos vencimentos de setembro, e não de 8 mil contratos (US$ 400 milhões), como vinha fazendo. 

Os investidores fizeram as contas. Se rolar 10 mil contratos por dia até o penúltimo dia útil do mês, o BC retirará menos dólares do mercado. Serão rolados 180.000 contratos (US$ 9,000 bilhões) dos 201.400 (US$ 10,070 bilhões) programados para vencer. Neste caso, apenas 21.400 serão recolhidos, ou o equivalente a US$ 1,070 bilhão (10,63% do total). É menos do que vinha recolhendo o BC nos últimos meses. Em agosto, venceram 29,68% do total de swaps; em julho, 13,02%; em junho, 48,20%; em maio, 25,57%; e em abril, 26,09%.

 Sob essa perspectiva, o dólar recuou ante o real, a despeito de, no exterior, a moeda americana adotar movimentos mistos ante outras divisas de países ligados a commodities ou emergentes. Ainda assim, o cenário no exterior era mais calmo, após anúncio de um cessar-fogo na Faixa de Gaza e de notícias de esforços da Rússia na busca de soluções diplomáticas na crise com a Ucrânia.

Perto das 16h30, o dólar americano subia 0,19% ante o australiano, tinha baixa de 0,40% ante o canadense, avançava 0,10% ante o neozelandês, cedia 0,10% ante o rand sul-africano, tinha alta de 0,02% ante a lira turca e cedia 0,63% ante o rublo russo. O dólar Index, que considera uma cesta de moedas, tinha alta de 0,09%. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.