Dólar cai 0,51% a R$ 1,564, menor valor desde 4/8/2008

No mês, o dólar comercial acumula queda de 4,05% e no ano, baixa de 6,01%

Márcio Rodrigues, da Agência Estado ,

26 de abril de 2011 | 17h14

O dólar comercial caiu 0,51% hoje e fechou a R$ 1,564, menor valor desde 4 de agosto de 2008, quando estava cotado a R$ 1,563. Depois de uma leve alta de 0,13% ontem, o dólar no câmbio interbancário doméstico voltou a acompanhar o movimento de desvalorização que persiste no exterior. Segundo operadores, a moeda norte-americana tem um motivo adicional para se desvalorizar no Brasil: o cenário macroeconômico e o diferencial entre os juros interno e externo continuam muito favoráveis.

Durante os negócios hoje, a taxa mínima registrada foi de R$ 1,562 e a máxima, R$ 1,569. No mês, o dólar comercial acumula queda de 4,05% e no ano, baixa de 6,01%. Na Bolsa de Mercadorias & Futuros, o dólar à vista também recuou 0,51% hoje e fechou o pregão a R$ 1,563, na taxa mínima do dia. O euro comercial teve leve baixa de 0,09% no dia para R$ 2, 29.

Para tentar conter a desvalorização do dólar, o Banco Central voltou a fazer dois leilões de compra de moeda no mercado à vista, com taxas de corte de R$ 1,5642 e R$ 1,5639. Estas atuações, contudo, apenas ajudaram a amenizar as perdas.

Hoje, diversos integrantes da equipe econômica do governo e a própria presidente Dilma Rousseff reforçaram o empenho no combate à inflação e disseram que as medidas para conter a valorização do real já começaram a surtir efeito. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que o dólar estaria abaixo de R$ 1,40 sem as medidas cambiais e que isso traria problemas à indústria.

Os efeitos das medidas do governo podem ser vistos nos dados do fluxo cambial divulgados pelo Banco Central, que em abril, até o dia 20 - sob o efeito do compulsório sobre posição cambial vendida excedente a US$ 3 bilhões ou o patrimônio de referência e do IOF de 6% em empréstimos externos de até dois anos -, tem saldo positivo em US$ 133 milhões. O número contrasta fortemente com o desempenho dos três primeiros meses do ano, superavitários em US$ 15,5 bilhões em janeiro, US$ 7,4 bilhões em fevereiro e US$ 12,6 bilhões em março.

No exterior, a redução do déficit no orçamento da zona do euro no ano passado ajudou na valorização da moeda única. Por volta das 17 horas (de Brasília), o euro subia a US$ 1,4648, de US$ 1,4579 no fim da tarde de ontem em Nova York.

Câmbio turismo

Nas operações de câmbio turismo, o dólar caiu 1,80% nesta terça-feira e foi vendido a R$ 1,64; para compra a moeda vale R$ 1,487. O euro turismo subiu 0,29% para R$ 2,40 (venda) e R$ 2,193 (compra).

Tudo o que sabemos sobre:
câmbiodólareuro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.