Dólar cai 1,05% e volta a fechar abaixo de R$ 1,60

Na BM&F, o dólar à vista registrou baixa de 1,04% e fechou o pregão desta sexta-feira a R$ 1,5994

Silvana Rocha, da Agência Estado,

27 de maio de 2011 | 17h02

Desde o último dia 4 acima do nível de R$ 1,60, o dólar comercial caiu 1,05% hoje e fechou cotado a R$ 1,599 no mercado interbancário de câmbio. É a menor taxa desde 3 de maio, quando fechou a R$ 1,587. Apesar do recuo de hoje, no mês o dólar ainda acumula alta de 1,59%, mas no ano ampliou a queda para 3,91%. Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o dólar à vista registrou baixa de 1,04% e fechou o pregão desta sexta-feira a R$ 1,5994. O euro comercial teve leve alta de 0,04% para R$ 2,285.

O mercado de câmbio local reagiu hoje ao sinal de baixa generalizada da moeda norte-americana no exterior em meio aos sinais de enfraquecimento da economia dos EUA. Do lado interno, os agentes financeiros registraram fluxo cambial positivo e também precificaram expectativas de novos ingressos de recursos de captações privadas em andamento ou já fechadas esta semana.

A realização pelo Banco Central hoje de dois leilões de compra de dólar à vista, após sete sessões fazendo apenas uma compra diária, pode ser indício de fluxo favorável, disse um operador. Além disso, com os feriados na segunda-feira nos EUA (Memorial Day) e no Reino Unido (bancário), os investidores já se movimentaram visando os vencimentos de dólar futuro e de contratos de swap cambial reverso, ambos no dia 1º de junho. Nos dois leilões de compra de dólar à vista, o BC fixou as taxas de corte em R$ 1,6030 e em R$ 1,5995.

Em 1º de junho, vencem 33.100 contratos de swap reverso, equivalentes a cerca de US$ 1,6 bilhão, além dos contratos futuros de dólar de junho. Ambos os vencimentos serão liquidados pela taxa Ptax de 31 de maio. No caso dos swap reversos, o BC já anunciou hoje que realizará na segunda-feira, das 18 horas às 18h30, uma pesquisa de demanda para avaliar a realização eventual de um leilão na próxima terça-feira para rolagem do vencimento desses contratos no dia 1º de junho.

O swap cambial reverso é um tipo de contrato financeiro negociado no mercado futuro. Nele, é feita uma troca de taxas entre o Banco Central e os bancos compradores. De um lado, a autoridade monetária oferece aos investidores o pagamento de taxa de juros - que acompanha a taxa Selic. Em troca, bancos pagam ao BC a variação do câmbio no período do contrato. Ou seja, o BC oferece juro e recebe a oscilação do dólar.

Em relação ao mercado futuro, a pressão dos "vendidos" (que apostam na baixa do dólar) nesse vencimento poderá ser maior. Isso porque, até ontem, os investidores estrangeiros detinham uma posição vendida em cupom cambial e dólar futuro de cerca de US$ 19 bilhões, enquanto as instituições financeiras locais, como bancos, estavam "comprados" (aposta na alta da taxa) em cerca de US$ 13 bilhões, informou um operador.

Câmbio turismo

O dólar turismo caiu 2,50% hoje e foi negociado a R$ 1,677 na venda e R$ 1,553 na compra. O euro turismo recuou 1% para R$ 2,383 (venda) e R$ 2,223 (compra).

Tudo o que sabemos sobre:
dólarcâmbioBCleilãoBM&FEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.