Dólar cai à espera de manutenção de estímulos do FED

O dólar recuou frente às principais moedas nesta quinta-feira, 17, com a expectativa dos investidores de que a paralisação dos EUA vai adiar a redução de estímulos do Federal Reserve.

Agencia Estado

17 de outubro de 2013 | 18h57

O presidente do Federal Reserve de Chicago, Charles Evans, afirmou nesta quinta que ainda não é o momento certo para retirar os estímulos monetários do banco central. "Espero que nossa posição geral de política monetária permaneça altamente acomodatícia por algum tempo adiante", disse Evans em discurso preparado para um evento em Madison, Wisconsin. O presidente do Fed de Dallas, Richard Fisher, também disse que é improvável uma retirada de estímulos na reunião de 29 e 30 de outubro.

Nesse cenário de incerteza, muitos economistas agora adiam suas expectativas de uma redução de estímulos, o que enfraquece o dólar. A moeda caiu para a mínima em oito meses frente ao euro e em quatro meses ante o dólar australiano.

No fim da tarde em Nova York, o dólar caía para a mínima em uma semana frente ao iene e à libra. A moeda era cotada a 97,93 ienes, de 98,75 ienes no fim da tarde de quarta-feira, enquanto a libra subia 1,4%, para US$ 1,6161, de US$ 1,5946. O euro avançava 1%, para US$ 1,3675, de US$ 1,3534, e tinha alta para 133,80 ienes, de 133,64 ienes. O dólar australiano subia para US$ 0,9636, de US$ 0,9552. O índice Wall Street Journal Dollar Index, que pesa a moeda norte-americana ante uma cesta de rivais, recuava para a mínima em oito meses de 72,073 pontos.

"O mercado está precificando a possibilidade cada vez maior de a redução ser adiada para 2014", disse Brian Daingerfield, estrategista do RBS Securities. "O Fed pode não ter dados suficientes até dezembro para reduzir as compras de bônus e isso leva a um dólar mais fraco." Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
moedas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.