Dólar cai abaixo de R$ 2,20 com fala de Dudley

William Dudley, presidente do Fed de Nova York, disse que economia dos EUA ainda precisa de estímulos do Fed

Luciana Antonello Xavier, da Agência Estado,

23 de setembro de 2013 | 12h09

SÃO PAULO - O dólar, que já caía desde a abertura no mercado à vista, favorecido pela melhora do índice de atividade industrial (PMI) da China, renovou as mínimas, para abaixo de R$ 2,20, reagindo às declarações de dirigentes do Federal Reserve. William Dudley, presidente do Fed de Nova York e membro votante no Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) disse nesta segunda-feira, 23, que a economia dos Estados Unidos não melhorou o bastante para o Fed começar a reduzir os estímulos monetários.

Às 11h25, o dólar à vista no balcão perdia 0,81%, a R$ 2,2010, após bater a mínima de R$ 2,1990 (-0,90%). A máxima foi de R$ 2,2120 (-0,32%), que é a cotação da abertura. O giro era de US$ 527,711 milhões, sendo US$ 402,111 milhões com liquidação em dois dias úteis. No mercado futuro, o dólar para outubro caía 0,41%, a R$ 2,2060, após oscilar de R$ 2,2185 (+0,16%) e R$ 2,2020 (-0,59%).

Tudo o que sabemos sobre:
dólarDudley

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.