Dólar cai ante iene e franco suíço com receios sobre crescimento

Investidores continuam preocupados com o ritmo da recuperação econômica dos EUA

Álvaro Campos, da Agência Estado,

31 de agosto de 2010 | 18h50

O dólar recuou em relação ao iene e caiu para o menor nível desde janeiro ante o franco suíço, com os investidores ainda preocupados com o ritmo da recuperação econômica nos EUA.

 

A ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve não ofereceu surpresas para o mercado de câmbio, mas colocou em foco a desaceleração da economia dos EUA e como as autoridades do Fed poderiam incentivar o crescimento, fatores que vêm mexendo com o sentimento dos investidores. O texto do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês) reiterou a decisão do banco central de adiar um encolhimento de seu enorme balanço patrimonial, na prática adiando um aperto da política monetária.

 

Agora os investidores devem voltar as atenções para os dados sobre as vagas criadas ou perdidas pela economia dos EUA - o chamado payroll -, na sexta-feira, para determinar se voltam a investir em moedas fortemente ligadas ao crescimento global, disse Richard Ilczyszyn, estrategista sênior de mercado da Lind-Waldock.

 

Os investidores deixaram de lado as moedas sensíveis ao crescimento, como os dólares da Nova Zelândia e do Canadá, por causa dos receios com a perda de fôlego da recuperação econômica global.

 

Hoje, apesar do aumento maior que o previsto no índice de confiança do consumidor do Conference Board, os investidores demonstraram que ainda estão preocupados com isso e que um dado positivo não é suficiente para conter a maré de cautela que assola os mercados, disse Brian Kim, estrategista de câmbio do UBS. "Sempre que um dado positivo é divulgado, as pessoas esperam por outro que aponte para um fortalecimento da recuperação econômica", comentou.

 

No fim da tarde em Nova York, o euro era cotado a US$ 1,2673, levemente acima de US$ 1,2663 no fim da tarde de ontem. O iene estava cotado a 83,83 por dólar, de 84,55 por dólar ontem, enquanto o euro estava cotado a ¥ 106,25, de ¥ 107,09. A libra estava cotada a US$ 1,5346, de US$ 1,5459. O franco suíço estava cotado a 1,0147 por dólar, de 1,0261 por dólar ontem. Durante a sessão, o franco chegou a tocar 1,0136 por dólar.

 

O índice ICE Dollar, que monitora a cotação da moeda norte-americana ante uma cesta de moedas, estava a 83,104 pontos, de 83,160 pontos ontem.

 

O euro conseguiu registrar um pequeno ganho em relação ao dólar e à libra após dados mostrarem que o mercado de trabalho na Alemanha melhorou menos do que o esperado em agosto e apontarem um aumento na demanda por trabalhadores. A moeda europeia, no entanto, tocou a mínima histórica de 1,2860 franco suíço.

 

A alta do iene hoje ocorreu com os investidores avaliando que as medidas de afrouxamento monetário do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), divulgadas ontem, não foram agressivas o bastante para conter o recente fortalecimento da moeda. O comitê de política monetária do banco central japonês disse, após uma reunião de emergência ontem, que vai oferecer mais ¥ 10 trilhões em financiamentos de seis meses a uma taxa de juros fixa.

 

O ministro das Finanças do Japão, Yoshihiko Noda, defendeu hoje a decisão do BoJ, sugerindo que pode deixar de cobrar mais medidas de afrouxamento monetário por algum tempo. Mas ele também mostrou que está descontente com a persistente alta do iene, novamente mencionando a possibilidade de intervir no mercado de câmbio, se necessário. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
dólarlibraeuroiene

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.