Dólar cai ao menor nível ante o iene em quase 3 meses

O dólar caiu nesta quinta-feira ao menor nível ante o iene em quase três meses, aproximando-se de níveis que não são vistos desde que o Banco do Japão (BoJ) anunciou o agressivo pacote de estímulos, em 4 de abril. A moeda dos Estados Unidos chegou a ser cotada a 93,75 ienes na sessão asiática, mas depois se recuperou após dados norte-americanos melhores que o esperado. O dólar já caiu mais de 8% desde que atingiu o pico de 103 ienes, no fim de maio. Por trás da alta do iene, está a crescente crença entre investidores de que o BoJ não está disposto - ou não pode - realizar as políticas monetárias ousadas prometidas pelo premiê Shinzo Abe, eleito em 2012 com promessas de reavivar a economia e acabar com a deflação.

AE, Agencia Estado

13 de junho de 2013 | 18h53

"Até agora, não houve evidências de que os esforços de estímulos do Japão foram capazes de elevar os números inflacionários", disse o estrategista do Bank of New York Mellon, Michael Woolfolk. No entanto, de acordo com Woolfolk, a força do iene é temporária, uma vez que os investidores ainda acreditam que Abe pode impulsionar o crescimento do país no longo prazo. O premiê do Japão acredita que o dólar voltará a superar cem ienes em meados do próximo semestre.

Com os mercados agora focados no futuro do programa de compra de bônus do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), os investidores estão particularmente sensíveis aos dados econômicos e o que eles podem significar para a política monetária. A próxima reunião do Fed será na terça, 18, e quarta-feira, 19.

No fim da tarde em Nova York, o dólar caía para 95,35 ienes, de 96,08 ienes nesta quarta-feira, 12, e era cotado a 0,9219 franco suíço, de 0,9209 franco suíço. O euro recuava para US$ 1,3358, de US$ 1,3375, e tinha queda para 127,71 ienes, de 127,95 ienes nesta quarta-feira. Já a libra esterlina subia para US$ 1,5721, de US$ 1,5680. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
moedasfechamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.