Dólar cai após indicadores econômicos fracos nos EUA

O dólar perdeu força ante as principais moedas internacionais, pressionado por sinais decepcionantes na economia dos EUA.

AE, Agencia Estado

13 de fevereiro de 2014 | 20h41

No fim da manhã, o Departamento do Comércio anunciou que as vendas no varejo caíram 0,4% em janeiro, na comparação com dezembro. A queda foi maior do que a projetada por economistas, que esperavam retração de 0,1%. No mesmo momento, o Departamento do Trabalho afirmou que o número de pedidos de auxílio desemprego aumentou para 339 mil na semana passada, contrariando a expectativa de analistas de uma queda para 330 mil.

Os dois relatórios indicam que a economia dos EUA ainda se recupera a um ritmo lento, o que pode adicionar mais pressão sobre o dólar. "Há um sentimento geral de enfraquecimento do dólar, e os atuais níveis euro-dólar e dólar-iene são um reflexo disso", afirmou o diretor global de estratégia de câmbio na Nomura, Jens Nordvig. Durante o pregão, a libra alcançou maior nível contra o dólar desde abril de 2011, a US$ 1,6674.

Já o dólar australiano seguiu caminho contrário e se enfraqueceu em relação ao dólar norte-americano após o anúncio de que a taxa de desemprego na Austrália subiu para o maior nível desde janeiro de 2003, para 6,0%. Na mínima o dia, o dólar australiano chegou a ser negociado a US$ 0,8927.

No fechamento em Nova York, o euro estava cotado a US$ 1,3672, de US$ 1,3595 no fim da tarde de quarta-feira; o iene estava cotado a 102,18 por dólar, de 102,53 por dólar. Frente à moeda japonesa, o euro estava cotado a 139,78 ienes, de 139,32 ienes no fim da tarde de quarta-feira. O franco suíço estava cotado a 0,8938 por dólar, de 0,9004 por dólar, e a 1,2222 por euro, de 1,2240 por euro. A libra estava cotada a US$ 1,6648, de US$ 1,6594. O dólar australiano estava cotado a US$ 0,8985, de US$ 0,9027 no fim da tarde de quarta-feira. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Mundocâmbio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.