Dólar cai após relatório do mercado imobiliário nos EUA

O dólar recuou nesta sexta-feira, 23, após um relatório que mostrou que as vendas de moradias novas nos Estados Unidos caíram fortemente, levantando dúvidas sobre a recuperação do mercado imobiliário.

Agencia Estado

23 de agosto de 2013 | 18h33

O Departamento do Comércio dos EUA informou nesta manhã que as vendas de moradias novas recuaram 13,4% em julho, na comparação com junho, para a média anualizada de 394 mil unidades, o menor nível em nove meses.

A queda das vendas eleva os temores de que o aumento das taxas de hipotecas afetará a recuperação do mercado imobiliário e ajuda a alimentar as expectativas de que o Fed esperará mais para começar a reduzir seu programa de compra de ativos de US$ 85 bilhões mensais.

As especulações de que o banco central norte-americano começaria em setembro a reduzir estímulos aumentou o apelo do dólar, mas qualquer sinal de que a economia possa estar cambaleando reduz essa expectativa.

O dólar caiu ante o euro, o franco suíço e os dólares canadense e australiano, mas não sofreu grandes alterações ante o iene. "Os números do setor imobiliário foram horríveis, mas as pessoas precisam ver um pouco mais disso para se convencer de que o Fed não começará em breve a reduzir estímulos", disse George Dowd.

Na zona do euro, sinais de recuperação da confiança do consumidor deram à moeda comum europeia algum suporte. O índice de confiança do consumidor da zona do euro subiu para -15,6 em agosto, de -17,4 em julho, o nível mais alto desde julho de 2011.

No fim da tarde em Nova York, o dólar estava em 98,73 ienes, de 98,72 ienes no fim da tarde da véspera, e caía para 0,9217 franco suíço, de 0,9230 franco suíço. O euro avançava para US$ 1,3381, de US$ 1,3357, e tinha alta para 132,04 ienes, de 131,85 ienes. O índice Wall Street Journal Dollar Index, que pesa a moeda norte-americana ante uma cesta de rivais, caía para 73,844 pontos, de 73,931 pontos. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
moedas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.