Dólar cai com anúncio de regras na China para limitar fluxo de capital

Medida levantou preocupações de que o crescimento econômico chinês possa desacelerar 

Danielle Chaves, da Agência Estado,

09 de novembro de 2010 | 08h18

O anúncio feito pela China de novas regras financeiras que pretendem limitar o fluxo de capital para o país pressionou o dólar e colocou os investidores em estado de aversão ao risco, já que levantou novas preocupações de que o crescimento econômico chinês poderá se desacelerar.

A Administração Estatal de Câmbio Externo (Safe, na sigla em inglês) anunciou uma série de medidas para limitar o forte fluxo de dinheiro que está sendo direcionado para o país. Entre as medidas, estão uma administração rígida de cotas para uso de dívida estrangeira de curto prazo por instituições financeiras e o fortalecimento da supervisão da repatriação de fundos por empresas chinesas listadas em bolsas de outros países e da entrada de investimento de investidores externos.

Operadores disseram que, como resultado, os participantes do mercado de câmbio venderam ações e compraram o iene japonês, considerado um porto seguro, o que levou o dólar a operar abaixo de 81 ienes. "Se o fluxo de dinheiro do exterior diminuir, poderá haver declínio nas ações e nos preços dos ativos chineses, o que provavelmente vai prejudicar o ritmo do crescimento da economia", comentou Kenichi Nishii, operador sênior do Bank of Tokyo-Mitsubishi UFJ.

Alguns investidores concentrados em curto prazo podem tentar executar ordens de venda automáticas quando o dólar estiver entre 80,50 ienes e 80,70 ienes, com base na opinião de que a economia dos EUA pode se enfraquecer nos próximos meses. Se essas ordens forem disparadas, a moeda norte-americana pode cair para o nível de 80 ienes, de acordo com operadores de Tóquio.

O euro, enquanto isso, segue pressionado pelas preocupações com problemas de dívida em países da periferia da zona do euro. Os investidores vão prestar atenção no leilão de 300 milhões de euros em títulos de 26 semanas do governo da Grécia, que deverá ser realizado hoje. "Como o euro subiu firmemente nos últimos meses, os investidores estão esperando uma chance para vender a moeda e realizar lucros", observou Shinichi Hayashi, operador sênior do Shinkin Central Bank.

Às 9h53 (de Brasília), o dólar caía para 80,66 ienes, de 81,17 ienes no fim da tarde de ontem. Já o euro subia para US$ 1,3946, de US$ 1,3921 ontem. A libra operava a US$ 1,6127, de US$ 1,6135. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.