Dólar cai com atraso do Irã e reação a planos do Tesouro

O mercado doméstico de câmbio reage positivamente às informações do secretário do Tesouro Nacional, Carlos Kawall, sobre os planos para a administração da dívida externa em 2007 e 2008. O atraso do Irã em apresentar a sua resposta ao Conselho de Segurança da ONU e aos países ocidentais que prometeram incentivos em troca da interrupção no seu programa nuclear também é visto como positivo e fundamental para sustentar a trajetória de queda que mostram as cotações do dólar nesta manhã. Há pouco, o dólar à vista rompia a marca dos R$ 2,130, cotado na mínima de R$ 2,1295 no pregão da BM&F, depois de ter iniciado o dia em pequena alta, apreensivo com o iminente pronunciamento do Irã. Os operadores afirmam que os planos para a administração da dívida, apresentados hoje, seguem na linha de melhorar o seu perfil. Assim, a expectativa é que a percepção dos estrangeiros sobre a solidez econômica do Brasil continue melhorando, refletindo-se na queda do risco país e na sustentação do fluxo positivo de recursos. Isso pesa mais do que o anúncio de que a dívida deve continuar sendo saldada, em parte, com dólares adquiridos no mercado doméstico.

Agencia Estado,

22 de agosto de 2006 | 11h03

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.