Dólar cai com dúvidas sobre política monetária dos EUA

O dólar operou durante o pregão desta segunda-feira, 19, em escalas apertadas contra as principais moedas à medida que os investidores se esforçaram para ter uma noção melhor de como os dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) enxergam o atual crescimento econômico.

Agencia Estado

19 de maio de 2014 | 18h36

O presidente do Fed de San Francisco, John Williams, que não vota este ano no Comitê Federal do Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), disse hoje que o Fed provavelmente vai começar a subir as taxas de juros na segunda metade de 2015, sinalizando a continuidade de uma tendência de afrouxamento da política monetária nos EUA.

Ao sinalizar uma postura mais "dovish", ou seja, que tende mais à manutenção dos estímulos à economia, Williams criou hoje um viés de baixa para o dólar ante o iene e o euro.

Os investidores da moeda norte-americana esperam com ansiedade a divulgação da ata do Fed, prevista para esta quarta-feira, buscando sinais para o destino da política monetária. A autoridade está a caminho de terminar o seu programa de compras mensais de títulos até o final do ano, criando expectativas para uma eventual subida das taxas de juros.

Diante de taxas de juros mais altas, o dólar se torna suscetível a subir ante as outras moedas, porque elas fazem os ativos denominados na moeda norte-americana mais atraentes.

No final da tarde em Nova York, o dólar caía para 101,40 ienes, de 101,54 ienes na sexta-feira, e recuava para 0,8922 francos suíços, de 0,8928 francos suíços no pregão anterior. A libra subia para US$ 1,6824, de US$ 1,6820 no pregão anterior. O euro subia para US$ 1,3712, de US$ 1,3700 na sexta-feira; cedia para 139,00 ienes, de 139,34 ienes; e avançava para 1,2232 francos suíços, de 1,2224 francos suíços. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Moedas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.