Bolsa e dólar têm queda com expectativa sobre meta fiscal

Mercados de ações e de câmbio fecharam em baixa, influenciados pelo cenário político

Claudia Violante, O Estado de S. Paulo

02 Dezembro 2015 | 18h14

SÃO PAULO - Os mercados acionário e de câmbio passaram o dia de olho no Congresso, mais precisamente na apreciação da meta fiscal de 2015. Na maior parte da sessão, a Bolsa operou no vermelho, mas as perdas foram reduzidas consideravelmente quando a parte de discussões terminou e teve de fato início a votação, já no fim do pregão.

No mercado cambial, o dólar terminou em baixa de 0,87%, a R$ 3,8274, depois de oscilar entre a mínima R$ 3,8267 e a máxima de R$ 3,8754. No mês, acumula baixa de 1,28% e, no ano, alta de 43,94%. No mercado futuro, a moeda para janeiro cedia 0,69% às 17h34, a R$ 3,8669.

O Ibovespa encerrou o dia em baixa de 0,29%, aos 44.914,53 pontos, menor nível desde 29 de setembro (44.131,82 pontos). Na mínima, marcou 44.579 pontos (queda de 1,04%) e, na máxima, 45.338 pontos (alta de 0,65%). No mês, acumula queda de 0,46% e, no ano, de 10,18%. O giro financeiro totalizou R$ 7,572 bilhões.

Pela manhã, a Bovespa chegou a subir, mas virou para baixo quando Wall Street começou a operar. À tarde, quando nada parecia acontecer no Congresso, os investidores resolveram desmontar posições e o principal índice à vista renovou sucessivamente as mínimas da sessão. 

O clima só melhorou quando teve fim a discussão e começou votação - ainda sem um desfecho. O Ibovespa devolveu grande parte de sua baixa e terminou muito melhor do que estava na mínima do dia. Vale e Petrobras viraram para cima e deram sua contribuição para esse movimento. 

Petrobras ON subiu 2,49% e Petrobras PN, 0,40%. Vale ON, +0,78%, PNA, +0,19%. 

A votação do parecer prévio que pede a admissibilidade do processo por quebra de decoro parlamentar contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, no Conselho de Ética, ficou para a próxima terça-feira. O líder do PT na Câmara, Sibá Machado (AC), anunciou que a bancada do partido fechou questão a favor da admissibilidade do processo contra Cunha. Ou seja, foi contra orientação do Planalto. 

Nos EUA, as bolsas operavam em queda às 17h30: o Dow Jones perdia 0,68%, o S&P, 0,87%, e o Nasdaq, 0,45%. A presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, reforçou hoje que o aumento de juros nos EUA é iminente. 

BTG unit terminou em baixa de 1,48%, num dia em que seu rating foi rebaixado por S&P e Moody's e André Esteves deixou de fazer parte do bloco de controle do banco. 

Mais conteúdo sobre:
dolarcambiobolsa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.