Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Bolsa sobe pelo 2º dia com disparada de Vale e Petrobrás; dólar cai e fecha a R$ 3,90

Setor de mineração teve destaque na Bovespa, com alta de 14,76% na Vale ON e de 11,35% na Vale PNA; Petrobrás ON subiu 7,93%, PN, 5,35%, com compras de estrangeiros

Paula Dias, Claudia Violante, O Estado de S. Paulo

04 Fevereiro 2016 | 09h46

A Bolsa voltou a fechar em alta nesta quinta-feira, pela segunda sessão consecutiva, e retomou o patamar de 40 mil pontos. A recuperação das commodities no exterior e o fluxo comprador principalmente por parte de estrangeiros sustentaram os ganhos na sessão.

A bolsa brasileira terminou a quinta-feira com elevação de 3,11%, aos 40.821,74 pontos. Na mínima, marcou 39.589 pontos (estabilidade) e, na máxima, 41.444 pontos (+4,69%). No mês, acumula ganho de 1,03% e, no ano, queda de 5,83%.

No mercado de câmbio, o movimento foi inverso e o dólar caiu pelo segundo dia, atingindo novo piso no ano, a R$ 3,90 (-0,39%).

"Mineração e siderurgia se destacaram na Bovespa hoje. No exterior, as mineradoras também tiveram desempenho bastante firme e, aqui, esses papéis não ficaram atrás", comentou Hersz Ferman, economista da Elite Corretora.

O petróleo, no entanto, ficou volátil e operou boa parte do dia em baixa. Na Nymex, o contrato para março terminou em baixa de 1,73%, a US$ 31,72 o barril.

O recuo da commodity hoje não impediu que Petrobrás subisse, também a despeito de ter sido rebaixada pelo JPMorgan. A explicação, comentou um operador, é o fluxo comprador principalmente por causa do estrangeiro.

Petrobrás ON subiu 7,93%, PN, 5,35%. Vale ON saltou 14,76% e liderou as altas do Ibovespa e Vale PNA teve ganho de 11,35%, na terceira posição.

CSN ON subiu 9,76%, Gerdau PN, 10,48%, Metalúrgica Gerdau PN, 10,17%, Usiminas PNA, 6,25%

Nos EUA, as bolsas operavam com trajetórias mistas nesta tarde. às 18h03, o Dow Jones subia 0,16%, mas o S&P caía 0,17% e o Nasdaq tinha perda de 0,34%. 

Mais conteúdo sobre:
dólarbovespavalepetrobrás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.