Dólar cai para R$ 2,273 após leilão do Tesouro

Mercado virou no período da tarde e cotação da moeda americana sofreu baixa de 0,57%

Fabrício de Castro, da Agência Estado,

11 de setembro de 2013 | 17h13

Após sustentar ganhos ante o real até o início da tarde, o dólar à vista negociado no balcão mudou de tendência após as 14h30 e finalizou em baixa nesta quarta-feira, 11. Em menos de meia hora, a moeda norte-americana se distanciou dos R$ 2,30 e renovou as mínimas da sessão, para encerrar em R$ 2,273, com queda de 0,57%. Na máxima, às 11h27, atingiu R$ 2,306 (+0,87%) e, na mínima, às 15h19, marcou R$ 2,2670 (-0,83%).

Operadores afirmaram que a pressão de queda se associou ao resultado do leilão de troca de títulos públicos do Tesouro Nacional, que não aceitou papéis atrelados ao câmbio. O Tesouro ofereceu Notas do Tesouro Nacional - Série B (NTN-Bs), papéis indexados ao IPCA, em troca de outros títulos públicos. Profissionais de câmbio relataram que um player ofereceu cerca de R$ 3 bilhões em NTN-As - papéis bastante raros no mercado. Ao mesmo tempo, sob a expectativa de que o Tesouro aceitaria a troca, o player comprou dólares no mercado futuro, travando a operação e, de certo modo, contribuindo para a alta da moeda americana mais cedo. "Se houver entrega de título cambial, isso significa venda de dólares. Então o player vai ao mercado futuro para comprar no mesmo montante", explicou um operador.

O Tesouro, no entanto, não aceitou receber as NTN-As em troca das NTN-Bs. "Então, o que acontece? Será preciso ir ao mercado futuro e vender moeda", comentou o mesmo profissional. "O player teve de desfazer sua posição e a venda no futuro pesou no dólar. Ou pode ter ocorrido que outros players viram que a NTN-A não foi aceita e se anteciparam, vendendo dólar na frente dele", acrescentou um operador de títulos públicos.

Seja como for, a recusa do Tesouro disparou ajustes no mercado de câmbio e conduziu a moeda à vista para os R$ 2,273. O giro no mercado à vista foi mais consistente que em sessões anteriores e, perto das 16h30, somava US$ 2,114 bilhões conforme a clearing de câmbio da BM&FBovespa. No mercado futuro, o dólar para outubro caía 0,37%, a R$ 2,2850, com giro de US$ 16,893 bilhões.

Na avaliação das mesas, a aceitação de NTN-A significaria a retirada de dólares do sistema, justamente em um momento em que o Banco Central (BC) promove leilões diários para injetar dólares no mercado. "Não faz sentido o BC ofertar hedge cambial (por meio dos swaps) e o Tesouro comprar título cambial", disse. "Seria desfazer o serviço do BC."

Pela manhã, o dólar abriu em queda para, depois, passar a subir. Como vem ocorrendo, novamente o BC vendeu todos os 10 mil contratos de swap oferecidos, em um total de US$ 496,8 milhões.

Tudo o que sabemos sobre:
dólar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.