Dólar cai pelo 3º dia seguido e fecha a R$ 2,107

O dólar se desvalorizou em relação ao real pelo terceiro dia seguido. A recuperação das Bolsa de Valores de São Paulo, com os estrangeiros voltando a comprar ações brasileiras, colaborou para que o volume de moeda norte-americana entrando no País superasse o volume que saiu. E foi esse fluxo cambial positivo que determinou a queda da cotação. A retomada da queda do risco Brasil também tranqüilizou os mercados. No mercado interbancário, o dólar comercial fechou valendo R$ 2,107, em queda de 0,28%. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros, o dólar negociado à vista cedeu 0,33%, para R$ 2,106. A moeda norte-americana esteve todo o dia no terreno negativo. Segundo um operador, passado o susto com a queda de 8,8% da Bolsa da China na terça-feira da semana passada, que desencadeou uma turbulência global em ações, câmbio e outros ativos, os mercados tentam voltar à normalidade aos poucos. A cautela, contudo, ainda dá o tom dos negócios, com os investidores à espera do relatório do mercado de mão-de-obra dos Estados Unidos (a ser divulgado amanhã). "Se os dados de emprego norte-americano vierem dentro do esperado, é possível que os mercados acentuem a melhora amanhã, o que poderia levar o dólar a novas baixas já que o fluxo cambial continua muito favorável", disse um operador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.