Dólar cede ante euro e iene após obama prometer congelar gastos

A moeda única subiu a US$ 1,3723 na máxima

Regina Cardeal, da Agência Estado,

26 de janeiro de 2011 | 11h31

O dólar caiu em relação ao iene e ao euro depois que o presidente dos EUA, Barack Obama, pediu em seu discurso do Estado da União um congelamento de cinco anos nos gastos federais não relacionados à segurança e à Seguridade Social, o que projetou os juros dos Treasuries para baixo.

O euro fez uma pausa após atingir uma nova máxima em dois meses em relação ao dólar mais cedo em Londres, mas retomou o avanço no que parece, por ora, ser uma sólida tendência de alta. A moeda única subiu a US$ 1,3723 na máxima, se beneficiando sobretudo do tom mais fraco do dólar e recuou apenas levemente depois que o leilão de bônus da Alemanha atraiu demanda menor que a esperada e dados mostraram que os bancos europeus aumentaram seus empréstimos do Banco Central Europeu (BCE).

"Há espaço para o euro subir até cerca de US$ 1,40", disse Daragh Maher, estrategista de câmbio do Credit Agricole, em Londres. "Não há nenhum casca de banana óbvia para o euro, principalmente porque todos pararam de falar sobre a crise da dívida." Maher disse que o único risco para a moeda única no momento seria um tom "particularmente agressivo" do Fed ao término de sua reunião hoje, mas acrescentou que isso parece bem improvável.

Os investidores estão agora esperando a decisão do comitê de mercado aberto do Fed (Fomc, na sigla em inglês) às 17h15 (de Brasília), da qual os analistas esperam sinais sobre o futuro da política monetária e o início da estratégia de saída do banco central norte-americano de seu programa de compra de bônus.

A libra atingiu a máxima do dia em US$ 1,5885 após a divulgação da ata da reunião de janeiro do comitê de política monetária do banco central da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês). A minuta mostra que o novo membro Martin Weale se uniu a Andrew Sentance no voto por um aumento de 0,25 ponto porcentual no juro, enquanto Adam Posen novamente votou por uma extensão de 250 bilhões de libras do programa de compra de bônus.

"A ata de janeiro sugere que o comitê se aproximou de um aumento do juro no curto prazo este mês, mas ontem os números fracos do PIB teriam levado o comitê de volta ao padrão de esperar para ver", disse Vicky Redwood, economista sênior do Capital Economics.

Às 10h45 (de Brasília), o euro era negociado em alta a US$ 1,3697, de US$ 1,3682 na tarde de ontem. O dólar estava em 82,15 ienes, de 82,25 ienes ontem. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
câmbioeurodólarieneObama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.