Dólar começa o dia em queda de 0,19%, a R$ 2,156

O primeiro negócio com dólar no pregão à vista da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) foi fechado esta manhã à taxa de R$ 2,156, o que representa queda de 0,19% em relação ao valor do fechamento dos negócios ontem à tarde. Embora os analistas não tenham abandonado a idéia de que a tendência do dólar é mesmo de queda, desde que o mercado internacional se mostrou tenso com o movimento dos juros dos países desenvolvidos, a volatilidade das cotações cresceu internamente. E a perspectiva é de que continue assim, ainda mais hoje, dia em que serão divulgados os dados de emprego nos Estados Unidos. "Os operadores estão tentando achar um novo patamar para o dólar", disse um especialista. A maior dúvida que permanece no momento refere-se à economia norte-americana e, por isso, os dados sobre geração de emprego e taxa de desemprego que serão divulgados ainda esta manhã nos EUA vão concentrar as atenções. As taxas de juros dos títulos do Tesouro norte-americano registraram forte ajuste para cima nos últimos dias e alguns analistas consideram que o juro dos EUA chegará até 5% ao ano. Os indicadores de hoje devem ser munição para as apostas nessa ou outra taxa e, assim, tendem a agitar os negócios ao redor do mundo. No Brasil, a perspectiva é de que perante essa situação o dólar fique perto da estabilidade no começo desta manhã para definir a tendência no dia de acordo com o mercado internacional e o fluxo. Vale ressaltar que o noticiário político segue mostrando novidades que prejudicam o governo. Mais especificamente preocupa o aumento de denúncias envolvendo o ministro Antonio Palocci (Fazenda). Por enquanto, porém, os investidores não parecem dispostos a levar isso para os negócios. Mas o desenrolar dos fatos políticos voltou a merecer atenções.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.