Dólar comercial abre em alta de 0,12%, a R$ 1,621

Valorização inicial da moeda é atribuída a um ajuste em função da queda concentrada na tarde de ontem e que acompanha a recuperação do euro

Cristina Canas, da Agência Estado,

18 de maio de 2011 | 10h23

O dólar comercial abriu o dia em alta de 0,12%, negociado a R$ 1,621 no mercado interbancário de câmbio. Às 10h39, a divisa subia 0,06%, a R$ 1,620. No pregão de ontem, a moeda americana recuou 0,74% e foi cotada a R$ 1,619 no fechamento. Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), o dólar à vista abriu em queda de 0,08%, a R$ 1,6187.

A alta inicial do dólar é atribuída a um ajuste em função da queda concentrada na tarde de ontem e que acompanhou a recuperação do euro. Hoje, a moeda norte-americana também segue o comportamento internacional, onde as oscilações não encontravam um rumo único, com o dólar recuando diante de algumas moedas e avançando em relação a outras.

Os operadores apontam que, para o restante do dia, há grandes chances de o rumo do dólar no Brasil ser pautado por movimentações técnicas. Ontem, embora tenha encontrado respaldo na trajetória internacional do euro, o recuo do dólar estaria ligado, principalmente, à redução de posições de fundos em derivativos cambiais. O movimento ocorreu em larga medida no período da tarde.

Segundo operadores, a percepção de que esses investidores estariam voltando a montar posições de arbitragem já era forte ontem. "Vamos observar se isso é uma tendência, um acerto que vai continuar, ou se para por aí", disse um operador. Ele acrescenta que a arbitragem volta a compensar com o recuo do cupom cambial (a taxa de juros em dólar) que, depois de ter passado abril em níveis muito superiores ao habitual, voltou aos níveis normais. Hoje, o Banco Central (BC) divulga ainda os novos dados do fluxo cambial, o que pode influenciar o mercado.

Tudo o que sabemos sobre:
câmbiodólarcomercialBM&F

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.