Dólar comercial abre estável, a R$ 1,711

Ajustes de posições necessários para a absorção de recursos decorrentes da capitalização da Petrobrás continuam

Cristina Canas, da Agência Estado,

27 de setembro de 2010 | 10h05

O dólar comercial abriu o dia em estável, negociado a R$ 1,711 no mercado interbancário de câmbio, o mesmo valor do fechamento da moeda norte-americana na sexta-feira. Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), o dólar com liquidação à vista abriu as negociações em leve alta de 0,05%, a R$ 1,7107.

Com a capitalização da Petrobrás dando os últimos passos, o mercado brasileiro de câmbio dá sequência nesta semana aos ajustes de posições necessários para a absorção da entrada de recursos decorrentes da operação. A perspectiva é de que o fluxo financeiro de recursos continue positivo para o País, com captações externas privadas fortes e investidores de curto prazo buscando juros atrativos.

No exterior, a ideia de recuperação lenta nos Estados Unidos também é um fator de pressão de baixa no dólar. Porém, outros componentes formadores da taxa de câmbio, que até agora foram deixados em segundo plano, podem começar a ganhar força, equilibrando um pouco a trajetória do dólar ante o real.

Trata-se principalmente das contas externas, que aumentam o déficit em decorrência da piora da balança comercial e das remessas de lucros e dividendos ao exterior, da conta de viagens e de Investimento Estrangeiro Direto (IED) abaixo do previsto. Além disso, há a percepção de que o Banco Central (BC) e o Tesouro estão a postos para intervir mais pesadamente no câmbio, se a trajetória de desvalorização do dólar se mostrar ininterrupta e intensa.

Por enquanto, o mercado de câmbio sinaliza que nada de importante mudará hoje em relação ao que tem sido visto nas últimas semanas. A liquidação da operação da Petrobras ocorre na quarta-feira, dia 29, e a percepção dos profissionais do mercado é de que ainda podem entrar dólares no País durante o pregão de hoje.

Nesta manhã, o Banco Central (BC) divulgou a pesquisa Focus. Após três semanas seguidas de queda na previsão para o patamar do câmbio no fim do ano, o levantamento mostrou estabilidade nas estimativas para 2010 e 2011. A mediana das estimativas para o dólar no fim de dezembro do próximo ano seguiu em R$ 1,80 e, para o fim de 2010, em R$ 1,75.

Tudo o que sabemos sobre:
dólarcâmbiocomercialBM&F

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.