Dólar comercial abre estável, a R$ 2,174, na BM&F

O dólar comercial abriu estável hoje no pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), a R$ 2,174. No mercado interbancário, os primeiros negócios foram realizados pelo mesmo preço, mas com alta de 0,09% em relação a ontem. A abertura dos negócios reflete os números, praticamente idênticos ao previsto, de inflação e de renda pessoal divulgados nos Estados Unidos. Apenas os gastos com o consumo tiveram alta menor do que a esperada. Segundo analistas, os temores de queda na atividade mundial estão se dissipando lentamente. Hoje foi a Índia que premiou o mercado com dados de vigor, mostrando expansão PIB acima do previsto. No Japão, alguns setores também exibem desempenho superior ao esperado. As bolsas da Europa continuam em valorização e, em Londres, o índice FTSE-100 retoma o nível verificado antes do nervosismo de maio. O petróleo segue em queda e o recuo ocorre por motivos positivos: as declarações de membros da Opep negando eventual queda na produção. Internamente, o mercado seguirá de olho no decorrer dos fatos políticos, mas sem preocupações em relação ao pleito deste final de semana. A menos que alguma surpresa muito grande surja, os analistas estão dando como praticamente certa a reeleição do presidente Lula. Hoje o mercado forma a média de preços para o vencimento dos contratos futuros de outubro e para a liquidação de contratos de swap cambial reverso. Movimentos técnicos em torno desse fato tendem a influenciar os negócios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.