Dólar comercial cai 0,28% e fecha a R$ 2,1340

O câmbio fechou hoje cotado a R$ 2,134 tanto na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) como no mercado interbancário, porém com variações diferentes. Na BM&F, o dólar à vista caiu 0,31%, enquanto o dólar comercial recuou 0,28%. O fluxo cambial positivo, especialmente pelo segmento financeiro, e o recuo do risco Brasil para a mínima histórica intraday (registrada durante o dia) de 186 pontos base, baixa de 3,13% por volta das 16h20, estimularam ofertas de moeda pelas tesourarias, que favoreceram o recuo final, informaram operadores consultados. No leilão de compra hoje, o Banco Central (BC) comprou dólar à taxa de corte de R$ 2,13250. Segundo operadores, foram apresentadas 19 propostas e o BC teria aceitado três delas,. Ainda segundo fontes, de acordo com as propostas divulgadas, o valor mínimo apresentado foi de R$ 2,1305 e o máximo, de R$ 2,134. Mesmo após a divulgação da inflação ao produtor dos Estados Unidos mais cedo, que ficou acima do esperado, o dólar não teve forças para subir. O índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês), acima do esperado, subiu 0,9% em dezembro ante estimativas de alta de 0,6%. Já o núcleo do indicador (sem os setores de alimentos e energia) ficou em linha com a elevação de 0,2% prevista. No exterior, o que incomodou o mercado de manhã foi a avaliação que acompanhou o detalhamento dos dados do PPI de que há pressões inflacionárias antigas, que estão sendo repassadas aos preços. Ou seja, o risco inflacionário ainda existe, como vem alertando constantemente o Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos). E o PPI não só afastou ainda mais a possibilidade de que a taxa de juro básica nos EUA diminua como deu fôlego a especulações sobre eventual retomada de alta do juro básico do país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.