Dólar comercial cai, ainda sob influência de decisão do BC da Suíça

Dólar comercial cai, ainda sob influência de decisão do BC da Suíça

Na Bolsa, o movimento é de alta e as ações da Petrobrás estão instáveis; preços dos barris de petróleo estão em alta nesta sexta

O Estado de S. Paulo

16 de janeiro de 2015 | 11h24

O dólar à vista no balcão opera em baixa nesta sexta-feira, devolvendo parte da alta do dia anterior, causada, sobretudo, por decisão do Banco Central da Suíça (SNB). O dólar à vista caía 0,53% por volta das 11h15,  cotado a R$ 2,620.  

A Suíça desistiu da política cambial que previa um piso para as cotações da moeda local. A estratégia abandonada atrelava o preço do franco suíço à moeda única europeia. Assim, o euro deveria custar, no mínimo, 1,20 franco. Para cumprir essa relação, o BC suíço intervinha no mercado. A estratégia, grosso modo, pode ser comparável às ações do BC no Brasil para respeitar as bandas cambiais até 1999. A diferença é que a Suíça continha a valorização do franco e no Brasil a ação tentava conter a desvalorização do real.

O sentimento ainda é ruim no exterior nesta manhã. Porém, as expectativas em relação à decisões de política monetária na Europa, nos Estados Unidos e no Brasil, além da agenda norte-americana, favorecem o ajuste no mercado de câmbio. 

Bolsa. A Bovespa trabalha em alta. Por volta do mesmo horário, subia 0,70%, na altura dos 48.390 pontos. Os negócios locais estendem a recuperação da véspera, quando a Bolsa interrompeu uma sequência de quatro quedas seguidas. Entende-se entre investidores que ainda há espaço para a ampliação de ganhos dos ativos.

As ações Petrobrás operam instáveis. No horário, os papéis ordinários (ON) e preferenciais (PN) estavam em queda 0,11%. O movimento é influenciado de algum modo por entrevista da noite passada, em que o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, afirmou que Graça Foster continuará no comando da companhia.

A retomada dos contatos futuros de petróleo, diante de sinais de que poderá haver redução do desequilíbrio entre a oferta e a demanda por petróleo no mercado internacional, ajuda a Petrobrás. 

Tudo o que sabemos sobre:
dolar,bolsa,petroleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.