Dólar comercial cai para R$ 1,689 e tem 6ª queda seguida

Com poucos negócios, oscilações foram mínimas e dólar ficou ao redor da estabilidade ante as demais moedas

Márcio Rodrigues, da Agência Estado,

27 de dezembro de 2010 | 17h03

Os negócios no mercado de câmbio entraram definitivamente em ritmo de férias. Com poucos negócios ao longo do dia, as oscilações foram mínimas e o dólar ficou ao redor da estabilidade ante as demais moedas. A principal notícia para o mercado veio de sábado, com a decisão da China em elevar suas taxas de juros em 0,25 ponto porcentual. No entanto, isso não foi o suficiente para dar força às operações.

O dólar comercial fechou em leve queda de 0,06% a R$ 1,689 no mercado interbancário de câmbio, completando o sexto recuo consecutivo e acumulando perdas de 1,52% no mês. O dólar à vista negociado na BM&F encerrou a sessão a R$ 1,6903, com perda de 0,27%.

"A flutuação de hoje é mínima e acho difícil o dólar oscilar com mais força neste ano. Além disso, a liquidez deve seguir baixa", afirmou um especialista. No leilão à tarde, o Banco Central adquiriu dólares com taxa de corte de R$ 1,6910.

A decisão chinesa de elevar os juros em pleno dia de Natal foi mais uma ação das autoridades do país com o objetivo de conter a crescente inflação e controlar os empréstimos bancários. Em novembro, a inflação na China atingiu 5,1%, o maior nível em mais de dois anos. A elevação dos juros ocorre a despeito dos seis aumentos do compulsório bancário neste ano. As taxas para concessão de empréstimo de 5,81% e para depósito de 2,75% entraram em vigor ontem.

Câmbio turismo

Nas operações de câmbio turismo, o dólar teve baixa de 1,22%, negociado em média a R$ 1,783 na venda e a R$ 1,687 na compra. O euro turismo encerrou o dia com alta de 0,34%, a R$ 2,343 (venda) e R$ 2,247 (compra).

Tudo o que sabemos sobre:
câmbiodólarBM&F

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.