Dólar comercial encerra a R$ 2,138, em alta de 0,28%

O dólar comercial fechou a R$ 2,138, em alta de 0,28%, depois de oscilar entre a mínima de R$ 2,129 e a máxima de R$ 2,14. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o dólar negociado à vista também fechou em alta de 0,28%, valendo R$ 2,138. A cotação da moeda norte-americana abriu em pequena alta ante o real, na expectativa do pronunciamento do Irã em resposta ao Conselho de Segurança da ONU e aos países ocidentais que prometeram incentivos em troca da interrupção no seu programa nuclear e foi recuando com o comedimento mostrado por aquele país. As informações do secretário do Tesouro Nacional, Carlos Kawall, sobre os planos para a administração da dívida externa em 2007 e 2008 também influenciaram as transações. Mas, à tarde, o dólar renovou as máximas na esteira da pontuação mínima registrada pela Bovespa, acompanhando a queda das Bolsas em Nova York. O cenário negativo se deveu às declarações do presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) de Chicago, Michael Moskow, e do presidente do Fed de Atlanta, Jack Guynn, de que não há recuo no compromisso do Fed em combater a inflação. Moskow destacou que o núcleo da inflação vai baixar, mas os riscos permanecem. A expectativa pelo leilão de compra de dólar pelo Banco Central (BC) também ajudou a dar sustentação à moeda na parte da tarde. No leilão, o BC pagou taxa de corte de R$ 2,138.

Agencia Estado,

22 de agosto de 2006 | 16h57

Tudo o que sabemos sobre:
finanças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.