Dólar comercial encerra a R$ 2,191, alta de 0,05%

O dólar comercial encerrou hoje em alta de 0,05%, cotado a R$ 2,191 no mercado interbancário. A moeda oscilou entre a mínima de R$ 2,186 e a máxima de R$ 2,189. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros, o dólar negociado à vista fechou cotado a R$ 2,1905 (+0,02%). Hoje o Banco Central (BC) voltou a comprar dólar no mercado à vista. Segundo operadores, as atuações do BC conseguiram, realmente, neutralizar a forte volatilidade que vinha sendo registrada nas cotações desde que o ambiente externo de negócios ficou conturbado por causa das incertezas sobre a economia norte-americana. Pela manhã, o mercado de câmbio terminava de absorver as medidas cambiais anunciadas ontem à tarde, analisava a ata do Comitê de Política Monetária, acompanhava a divulgação de vários dados macroeconômicos dos EUA e recebia a informação de que o Tesouro está fazendo uma operação de troca da dívida externa. Nenhuma das novidades que permearam os negócios de hoje abalou a convicção de que a tendência é de fluxo positivo de recursos para o País. Portanto, a trajetória de queda do dólar deve seguir firme. E só não é mais acentuada porque também é consenso que o Banco Central seguirá enxugando o mercado diariamente. Hoje o Tesouro anunciou que está ofertando papéis com vencimento em 2037 e absorve títulos com vencimentos em 2020, 2024, 2027 e 2030. A operação deve totalizar US$ 1,5 bilhão e o objetivo é melhorar o perfil de pagamentos futuros da dívida. O leilão de troca ocorrerá entre hoje e o dia 2 do próximo mês e o resultado da operação será anunciado no dia 3 de agosto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.