Dólar comercial encerra em alta de 0,23%, a R$ 2,136

O dólar comercial, negociado no mercado interbancário, terminou o dia com valorização de 0,23%, cotado a R$ 2,136, perto da máxima do dia, de R$ 2,137. Na mínima, a moeda recuou a R$ 2,128. O dólar negociado à vista no pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) fechou na máxima do dia, valendo R$ 2,136, em alta de 0,31%. Segundo operadores consultados, a moeda norte-americana foi pressionada pela virada para queda da Bolsa paulista - acompanhando as baixas das Bolsas em Nova York -, e a subida do risco Brasil para a máxima do dia (por volta das 16 horas), de 188 pontos-base, alta de 1 ponto-base, após recuar de manhã para a mínima histórica durante um dia de 182 pontos-base. "O dólar antecipou bem a perspectiva de ingresso de novas captações externas privadas ao recuar até R$ 2,128 (-0,07%) na mínima de hoje de manhã na BM&F e algumas tesourarias aproveitaram a oportunidade de preço para repor moeda hoje", disse um operador. Várias fontes consultadas nas mesas de operação disseram que foi limitado o impacto sobre os negócios das medidas do Plano de Aceleração do Crescimento anunciadas hoje pelo governo assim como a previsão de que o Banco Central fará pesquisa de demanda hoje para avaliar o interesse sobre um leilão de rolagem de swap cambial reverso amanhã. Por volta das 16 horas, o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, recuava 0,22%, para 43.333 pontos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.