Dólar comercial fecha a R$ 2,168, em alta de 1,21%

O dólar comercial fechou cotada a R$ 2,168, em alta de 1,21%, apesar de o Banco Central (BC) não ter realizado leilão de compra da moeda no mercado à vista, pelo segundo dia consecutivo, o que poderia pressionar as cotações, e apesar da venda parcial (cerca de 72%) do lote de dólares ofertados no leilão de swap reverso - quando o BC adota posição "comprada" e o mercado "vendida", numa operação que equivale a uma compra no mercado futuro. Segundo operadores, com a retomada da alta dos juros dos títulos do Tesouro dos EUA (Treasuries), que causou inquietação no mercado financeiro, houve uma corrida no mercado cambial para recompra de moeda americana, o que pressionou as cotações. No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o dólar encerrou em alta de 1,36%, a R$ 2,168. Até por volta das 16h15, foram registrados pela BM&F 191 negócios, com giro de cerca de US$ 174,850 milhões. O dólar à vista abriu com ganho de 1,54%, a R$ 2,172; oscilou 1,01%, entre a máxima de R$ 2,178 (+1,82%) e a mínima de R$ 2,153 (+0,65%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.