Dólar comercial fecha em queda de 0,23%, a R$ 2,134

Apesar da alta das taxas de juros dos títulos do Tesouro norte-americano (Treasuries), o dólar fechou em queda de 0,23%, cotado a R$ 2,134, nesta segunda-feira. Com agenda internacional fraca, os investidores mostraram maior tranqüilidade em relação ao cenário externo. Ajudou o fato de o risco Brasil apresentar queda durante a tarde. Além disso, as bolsas de países desenvolvidos operaram em alta. A ausência do Banco Central (BC) em leilões que equivalem a compras de dólar no mercado futuro também colaborou para a queda da moeda, além do desempenho positivo da Bovespa, que sinaliza uma trégua na retirada de investimentos por parte dos estrangeiros (no mês, até o último dia 8, o saldo negativo em março está em R$ 960,118 milhões). No pregão viva-voz da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), o dólar encerrou cotado a R$ 2,133 (-0,23%). O volume de negócios somou cerca de US$ 221,2 milhões, com 165 transações. A moeda norte-americana abriu em baixa de 0,28%, a R$ 2,132; oscilou 0,68% entre a menor marca do dia, de R$ 2,129 (-0,42%), e a maior, de R$ 2,1435 (+0,26%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.